Bradesco e Itaú brigam por sistema de locação de bikes em SP
27 de Fevereiro de 2012 • Atualizado às 07h08

Em breve a cidade de São Paulo irá ganhar um sistema de locação de bikes inspirado nos modelos europeus. O anúncio sobre a autorização foi feito na última sexta-feira (24), com a informação de que os dois maiores bancos do país, Itaú e Bradesco, estão disputando o comando e aplicação do projeto.

Segundo a prefeitura, as duas instituições têm apenas 30 dias para apresentarem seus projetos. O sistema deve seguir o molde já aplicado no Rio de Janeiro, em que as bicicletas são disponibilizadas pelas organizações privadas e em troca elas têm liberdade para divulgar a marca em pequenas placas instaladas nas bikes de aluguel.

O sistema não irá gerar gastos para a cidade, já que o investimento será totalmente custeado por fundos particulares. A proposta é de que sejam disponibilizadas de três a cinco mil bicicletas para locação. Outro ponto interessante será o sistema de pagamento do aluguel. “Não haverá ônus nenhum para a Prefeitura. E as bicicletas vão ter a primeira hora de aluguel gratuita. Depois, serão cobrados R$ 5 por hora adicional”, explicou a arquiteta Regina Monteiro, presidente da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana da Prefeitura, em declaração ao Estadão.

O Bradesco já tem atuado nos trabalhos de mobilidade urbana de São Paulo, sendo o patrocinador da CicloFaixa de lazer, que funciona aos domingos e feriados em alguns trechos da cidade. Por isso, o banco mantém o interesse em continuar a financiar projetos ligados ao ciclismo urbano. Inicialmente, a proposta da instituição estava direcionada somente ao aluguel de bicicletas no horário e nas regiões em que as pistas funcionam. No entanto, o planejamento mudou quando o concorrente, Itaú, apresentou a ideia de trazer para São Paulo um projeto semelhante ao que é feito na capital fluminense.

No Rio de Janeiro, 600 bicicletas são espalhadas por dez postos de locação e estão disponíveis todos os dias da semana. Além disso, ainda é possível consultar a quantidade de bicicletas livres pela internet. Em São Paulo o montante de bikes utilizadas no programa tende a ser bem maior, mas ainda assim estará abaixo de Londres, que já conta com cinco mil bicicletas, e de Paris, que funciona desde 2007 e oferece 20 mil “magrelas”. Com informações do Estadão.

Redação CicloVivo



Faça você mesmo

institucional capa | quem somos | cadastre-se | sugestão de pauta | como anunciar | contato
canais meio ambiente | tecnologia | arquitetura | mídia e negócios | desenvolvimento | vida sustentável | cidadania | bike | faça você mesmo | vídeos

CicloVivo - Plantando notícias | Todos direitos reservados 2014.