Pesquisadores encontram nova espécie de vespa gigante na Indonésia
30 de Março de 2012 • Atualizado às 05h43

Cientistas descobrem uma nova espécie de vespa gigante, venenosa na ilha Sulawesi, Indonésia. A nova espécie é um dos maiores membros conhecidos da subfamília Larrinae.

O inseto negro de cinco centímetros de comprimento está envolto em mistério, todos os espécimes de vespas capturados até agora foram encontrados mortos.

"Eu não estou certa de que algum pesquisador já tenha visto um vivo, mas eles têm uma aparência muito bizarra", disse a co-autora do estudo Lynn Kimsey, entomologista da Davis, Universidade da Califórnia. "É a versão extrema da [vespa Larrine] a subfamília a qual pertencem."

Tipicamente, estas vespas cavam ninhos para seus ovos e larvas em áreas abertas e arenosas. Os adultos crescem não mais de 2,5 centímetros – fazendo do espécime recém-descoberto, Megalara garuda, o "rei das vespas", segundo os autores do estudo.

As vespas fêmeas de M. garuda se parecem com a maioria das outras espécies de vespas, mas os machos possuem longas mandíbulas em forma de foice.

Para Lynn, os rostos largos e achatados dos machos e as grandes mandíbulas cravadas podem ser adaptações inteligentes para proteger um ninho que contém larvas vulneráveis.

"Outras vespas da mesma espécie, muitas vezes roubam tocas para comer, e os parasitas tentam chegar lá também", disse ela. "Existe uma grande vantagem ter o ninho guardado. Pode ser assim que o macho ajuda a garantir a sua paternidade."

Em geral, "não sabemos o que esta vespa faz", disse a pesquisadora. "Mas provavelmente elas se alimentam de larvas de gafanhotos ou gafanhotos, como outras vespas em sua subfamília."

Lynn e o co-autor Michael Ohl, da Universidade Humboldt de Berlim, viram o primeiro exemplar da nova vespa no Museu Zoologicum Bogoriense da Indonésia, onde os insetos estão armazenados desde 1930. Ohl também descobriu espécimes não identificados no Museu Humboldt em Berlim.

Em uma expedição em 2009, a equipe encontrou mais vespas em uma plantação de cacau nas montanhas do sudeste de Sulawesi. Para nomear a nova espécie, a equipe usou o símbolo nacional do país: a mítica criatura metade humana, metade pássaro na religião hindu, chamada Garuda.

Mais de cem mil espécies de insetos podem viver em Sulawesi, suspeita a pesquisadora mas, apenas metade têm nomes.

Mas o destino dessas espécies, inclusive as recém descobertas vespas estão em perigo. Desde a década de 60 as florestas da região têm sido cada vez mais niveladas para plantar vários tipos de culturas.

"O local onde foram coletadas está programado para ser uma mina de níquel a céu aberto", disse Lynn.

O estudo sobre a vespa gigante foi divulgado recentemente na revista ZooKeysCom informações da National Geographic.

Redação CicloVivo



Faça você mesmo

institucional capa | quem somos | cadastre-se | sugestão de pauta | como anunciar | contato
canais meio ambiente | tecnologia | arquitetura | mídia e negócios | desenvolvimento | vida sustentável | cidadania | bike | faça você mesmo | vídeos

CicloVivo - Plantando notícias | Todos direitos reservados 2014.